Os Fantásticos Livros Voadores

Até onde você já foi através dos livros? Encante-se e deixe sua imaginação levar você ao inimaginável.

Anúncios

Unhas, by Lívia Pereira

Mais um texto fantástico de minha amiga Lívia

Unhas

Roí minhas unhas ao vê-lo voltar
Roí sem saber onde/como te olhar
Cantar cantei
Cantou o cantar
Mas cantei tuas unhas a me arranhar

Costas e corpo
ao vê-lo aqui
Encostas do copo
que teima insistir

Retorna ao teu mundo
Me tira daqui
Retorna ou me entrego
e te forço a fugir…

Lívia Pereira.

O que é clichê?

Dentre as muitas definições encontradas nos dicionários, clichê significa frase frequentemente rebuscada que se banaliza por ser muito repetida; lugar-comum, chavão. Sim, clichê é isso. Porém, que significado tem esta palavra em sua vida? Isso mesmo: em sua vida.

Você já se viu em situações de profunda angústia, solidão e depressão das quais um ombro –  que nunca se apresentou, uma companhia – que nunca esteve lá ou uma simples palavra – que nunca foi dita, tirariam você? Naquele momento em particular, o que seria clichê se torna algo valiosíssimo. Algo que lhe faria trocar o que de mais precioso você possuísse, simplesmente para acabar com o sofrimento.

Quando passamos por situações assim, vemos o mundo a nossa volta sob a perspectiva de quem precisa, o que nos faz, enquanto durar o sofrimento, entender o que significa dor. Isso nos deixa extremamente sensíveis e suscetíveis a toda e qualquer ajuda a que, muitas vezes, mendigamos.

Quando não passamos por isso, porém, rotulamos o que outro sente como clichê e que, se ele se esforçar um pouquinho, conseguirá dar a volta por cima. É justamente neste momento que passamos por cima do outro, mesmo sabendo que não gostaríamos que fosse assim com nós mesmos. Afinal, lá no fundo – e espero que aí não seja tão fundo assim, sabemos o que devemos fazer. Sabemos que podemos caminhar mais um pouco, ser mais tolerantes.

Gosto de pensar nisso como o momento do travesseiro. Aquele momento no qual você não precisa usar qualquer tipo de máscara. Você é você mesmo. Aquele você que ninguém mais conhece, o qual você tenta evitar como pode, mas que está sempre ali, principalmente quando você vai dormir. Ele sempre lhe faz revisar suas ações, sua vida. E à conclusão somente você pode chegar.

Às vezes ele fala mais baixo e você acha que está tudo bem, que ele foi embora. Outras vezes, fala tão alto que você não consegue impedi-lo de gritar dentro de sua cabeça.

Seja como for para você, viva uma vida consciente. Envolva-se. Doe-se. Ande mais uma milha se for necessário.

Compreendo que não é fácil – ninguém disse que seria. No entanto, é simples. Simples assim. Tome isso como um exercício, um desafio. Quanto mais se exercitar, mais facilmente conseguirá atingir seus objetivos.

Não fique sozinho. Conte conosco!

Aproveite Tudo. Aproveite a Vida.

 

Evite Regar As Cascas.

(Retirado do blog Poema Figurado de minha amiga Lívia Pereira)

“Creio que quando sentimos necessidade de apelar pela atenção de alguém é que temos certeza de que não a temos.

Implorar pelo carinho do outro,

Desejar seu amor é sinônimo exato (sim, porque não há sinônimos exatos) de que nunca o teremos.

Sentimentos são sementes e não é muito comum você implorar pra que a semente cresça

Isso acontece naturalmente

o máximo que se pode fazer é regar o que já está certo…

Evite regar as cascas!

Lívia Pereira”.